Resumo do Livro: Gabriela Cravo e Canela

Autor Jorge Amado

“Gabriela Cravo e Canela” é um dos grandes sucessos do renomado autor brasileiro Jorge Amado. Publicado em 1958, já foi traduzido para mais de 72 línguas e ganhou adaptações televisivas, cinematográficas e teatrais. Costuma ser uma obra literária exigida em vestibulares mais regionais, em especial no Estado da Bahia. Também é uma obra que faz parte da chamada fase do regionalismo brasileiro, ou ainda, da 2ª. Geração de modernistas, que abusam da cor local e das tradições regionais de diversas partes ainda desconhecidas do Brasil. Retrata com grande fidelidade a cor local, tradicional pano de fundo das obras de Jorge Amado.

 

O livro narra a história entre a morena Gabriela feita de cravo e canela, que conquista o amor do árabe Nacib e que desafia os costumes de sua época. O romance é ambientado nos anos 20, em Ilhéus, cidade do interior baiano que passa por repentinas transformações graças à riqueza que a cultura do cacau está trazendo para a região.

 

A cidade está em polvorosa com a notícia de um duplo assassinato. O fazendeiro Jesuíno Mendonça, que não era homem de aceitar mansamente que lhe colocassem ‘cornos’, matou a tiros sua esposa e o cirurgião-dentista, moço elegante recém-chegado a Ilhéus e que galanteava as mulheres erradas na cidade.

 

Nesse momento, o árabe Nacib tem que lidar com uma mudança inesperada em sua casa, que afeta diretamente seus interesses. Filomena, a cozinheira do seu bar, partiu para viver com o filho, deixando-o justamente às vésperas de um importante jantar. Desesperado, Nacib encontra Gabriela, uma sertaneja retirante que chegava à cidade em busca de trabalho. Meio desconfiado das reais prendas da moça, Nacib arrisca-se a levá-la até o seu bar e logo ficará surpreso com as qualidades de Gabriela, que ultrapassam as prendas domésticas que a moça havia ter dito a ele.

 

Nacib se apaixona pela beleza e sensualidade dessa morena feita de cravo e canela e, em breve, perceberá o fascínio que ela desperta em todos que dela se aproximam. Ciúmes, intrigas e reviravoltas permeiam a trama que é dinâmica e repleta de tipos e situações que o escritor Jorge Amado dominava muito bem: as seduções típicas de romances que se passam em terras quentes e que incitam muito à paixão.  O escritor privilegia sempre a visão popular em suas obras, abusa da linguagem simples do povo e do tom coloquial visto nas ruas, bem com constrói  uma narrativa que é uma das preferidas de seus leitores.