Resumo do Livro: História do Cerco de Lisboa

Capa do Livro História do Cerco de Lisboa

História do cerco de Lisboa”, de José Saramago está na lista dos livros mais importantes da literatura portuguesa. Escrito com base em um importante acontecimento histórico, o livro mistura eventos reais e fictícios para fazer uma análise do passado, e, tentar criar uma perspectiva do que teria acontecido caso os fatos fossem alterados, e não tivessem acontecido da maneira como foi. Com maestria e brilhantismo, Saramago envolve o leitor por meio do personagem principal, Raimundo Silva, revisor de livros, que introduz no livro “História do Cerco de Lisboa” um erro proposital. O acréscimo do “não” em um livro de história faz nascer a ficção. Com isso, Saramago ainda propõe uma outra reflexão: sobre o papel do escritor.

 

Vale lembrar que a narrativa de “História do Cerco de Lisboa”, acontece em dois planos diferentes: a história real do cerco de Lisboa; a história criada por Raimundo, gerada a partir da alteração; e a do narrador, a única a que temos acesso de fato. A pontuação e a narração em diferentes planos são as características mais inusitadas da obra, que gera cerca dificuldade de leitura para os mais desavisados.

 

A narrativa justamente se inicia depois que Raimundo Benvindo Silva ao revisar um livro sobre a história do cerco de Lisboa, acaba cometendo propositalmente um erro. Após uma noite conturbada, Raimundo fica inquieto e acrescenta a palavra “não” a uma frase e, desta forma, altera o fato histórico que revela o apoio dos cruzados aos portugueses – fator decisivo para garantir o cerco e a consequente queda de Lisboa. Raimundo envia o texto à editora para poder ser impresso. Quando o erro é descoberto, a editora resolve o problema acrescentando uma errata.

 

A editora não demite Raimundo, justamente porque ele era um revisor muito experiente. Em contrapartida, contrata uma senhora para supervisionar seu trabalho, Maria Sara. Ela tenta entender a causa daquele erro e aos poucos percebe que Raimundo não irá admitir a alteração e acaba o incentivando a reescrever aquele episódio da história de Portugal. Raimundo se anima e resolve reescrever o episódio da tomada de Lisboa sem a participação dos cruzados. Enquanto reescreve a história, acaba também iniciando um relacionamento amoroso com Maria Sara.

 

Raimundo muito feliz por reescrever a história, cria a personagem Mogueime, um soldado valente que se destaca na luta dos cruzados. O personagem, inclusive em certo momento da narrativa assume o papel de narrador e, assim como Raimundo tem dúvidas sobre a aceitação do amor por parte de Ouroana, sua amada. Ambos ficam juntos no final do livro, assim como Raimundo fica com Maria Sara.