Resumo do Livro: Inocência

Capa do Livro Inocência

“Inocência”, romance brasileiro do autor Visconde de Taunay, foi originalmente publicado em 1872, e trata de uma ambientação que à época estava bastante em voga: a história se passa entre os Estados de Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e São Paulo, que, segundo o próprio autor, afirmou que tinha se inspirado em suas próprias lembranças do período em que era menino e viveu por aquelas terras.

 

Embora tenha sido publicado já quase no final do romantismo, é uma obra que apresenta alguns pequenos diferenciais, mesmo sendo totalmente convergida para os princípios da escola literária em voga. O livro conta a história de amor impossível envolvendo Inocência, órfã de mãe desde o nascimento e criada pelo pai Pereira, um mineiro rude, pequeno proprietário da região, e Cirino, um aprendiz de farmacêutico que se autodenomina médico “boticário” e que a curou de uma malária. Inocência está prometida a Manecão Doca, um rústico vaqueiro das redondezas, e o pai a vigia dia e noite, para que a filha chegue ao casamento, pura como deve ser.

 

É um livro cujos personagens são bem interessantes. Pereira, o pai de Inocência, é o centro da família de tipo patriarcal rural e escravocrata, que tinha certa posse. Este traço personifica todos os valores do homem rústico, bem como as suas relações com a família e os moradores da redondeza. Ele passa a ser o “legítimo sertanejo, explorador dos desertos”, como o próprio narrador o caracteriza.

 

Já Inocência, é uma personagem cuja única educação recebida foi as prendas domésticas, ou seja, a personagem foi totalmente moldada dentro do que era esperado para a sociedade da época.  Com uma obediência passiva em relação ao pai e depois ao marido escolhido por ele, Manecão, que passa a ser aceito na intimidade da família, assumindo aos poucos as responsabilidades de chefe familiar.

 

No entanto, Cirino chega à fazenda em um momento problemático, já que Inocência se encontra debilitada por conta de uma doença típica da região. Cirino, autointitulado médico e com o famoso Dicionário de Medicina Popular, de repente se vê junto às suas origens, do mundo rural, mesmo sem tê-las querido.  Cirino é o homem que desarmoniza todo o ambiente, já que respeita os valores locais, embora discorde da postura de Pereira com relação à mulher.

 

Outro elemento que irá desequilibrar a narrativa é o naturalista alemão Meyer. Ele é recebido por Pereira, de posse de uma carta de seu irmão mais velho, recomendando-lhe que o recebesse. O conflito começa quando Meyer, ingenuamente, passa a elogiar a beleza de Inocência. Por ser de origem diferente e um homem da cidade grande, desconhece as rígidas normas de comportamento familiar do sertão. Pereira, temendo pela integridade moral de Inocência, passa a espioná-la constantemente, incentivando ainda mais o amor entre Cirino e Inocência.

 

O romance do casal acaba em um desfecho muito trágico: Inocência morre, mas acaba imortalizada pelo naturalista que descobre uma espécie rara de borboleta: a Papillio Innocentia.