Resumo do Livro: Iracema

Capa do Livro Iracema

“Iracema” é um romance indianista de José de Alencar, que foi publicado em 1865, o livro é considerado a obra prima do autor. O romance tem como ponto de partida o argumento histórico da formação do Estado do Ceará, que teria se dado no século XVII, bem como o conflito de duas tribos indígenas rivais – os pitiguaras, os quais habitavam a parte litorânea, além de serem aliados dos portugueses e dos tabajaras, habitantes da região interiorana e aliados dos franceses. Repleto de tradição oral, a narrativa é considerada uma prosa poética, devido ao lirismo com que foi construída.

 

O enredo do livro gira em torno da ideia de formação da nacionalidade brasileira. A narrativa central também se desenvolve a partir a história de amor entre a índia Iracema – caracterizada por Alencar de forma tão bela quanto à paisagem local – e o português Martim, inimigo da tribo da índia, e representante do elemento europeu.

 

Iracema, que é filha do pajé Araquém, da tribo dos tabajaras, banhava-se no rio, quando é vista pelo português Martim. Ambos se apaixonam. Entretanto, Iracema é a virgem de Tupã, portanto, deusa de sua tribo, e o amor entre os dois não poderia ter acontecido. Iracema leva Martim à floresta da Jurema, lá oferece ao português uma bebida alucinógena. Este acaba adormecendo. Sonha com Iracema. A índia deixa Martim na floresta e foge assustada, mas acaba encontrando-se com Urapuã, chefe dos guerreiros. O índio, que havia visto o estrangeiro com Iracema, passa a querer matá-lo. Martim, sabendo que corria risco de morte, decide então partir.

 

Iracema pede ajuda a Poti, amigo de Martim, mas rival da tribo da virgem. Poti decide então ajudá-los. Antes da fuga, Martim e Iracema passam a noite juntos. Poti então ajuda os dois na fuga. Ambos vivem felizes, mas por certo tempo. Martim, quando saía para suas batalhas, deixava triste a índia Iracema, que se culpava pelas desgraças que se abateram sobre sua tribo. A índia perde sua alegria de viver e adoece; além de ver-se triste o tempo inteiro.

 

Martim segue viagem a mias uma de suas batalhas; Iracema que estava grávida,  dá a luz ao filho dos dois. Enfraquecida, espera a volta do amado, entrega-lhe o filho e morre. Martin, por sua vez, decide, ao lado do fiel amigo, fundar a mairi, local de homens civilizados. Lembra-se com emoção os bons momentos que tivera ao lado de Iracema.