Resumo do Livro: Memórias Sentimentais de João Miramar

Capa do Livro Memórias Sentimentais de João Miramar

“Memórias Sentimentais de João Miramar”, é um dos livros mais brilhantes de Oswald de Andrade. Inovador, Oswald foi mentor de um dos importantes movimentos literários que mudou os rumos das artes no Brasil. Livro de capítulos extremamente curtos, a narrativa funciona quase como uma colcha de retalhos do passado do narrador, cuja memória é acionada de forma fragmentada. Na narrativa, Oswald imprime a técnica da fotografia – que vai levando o leitor a ter um panorama também da mudança rápida que envolveu os primeiros anos do início do século XX.

 

A narrativa traz a vida de João Miramar, homem que pertence a uma rica família burguesa. Sua infância é marcada pela morte do pai. Miramar estuda em bons colégios de São Paulo e, depois de se formar, parte para uma longa viagem de conhecimento e amadurecimento, passando por Tenerife, França, Alemanha, Itália, Suíça e Inglaterra. Neste último país recebe um dinheiro extra, enviado pela família, e logo solicita seu rápido retorno ao Brasil. O jovem deve voltar ao país para assumir suas responsabilidades de herdeiro e de homem adulto.

 

Para a sua surpresa, assim que retorna ao país, tem a notícia do também falecimento de sua mãe, o que deixa o personagem arrasado, e também na condição de órfão de pai e mãe. Ele recebe a herança que é devida e se casa com a prima Célia, estratégia usual naquela época para manter o controle financeiro em mãos familiares. Viaja ao Rio de Janeiro com a esposa, que tenta arrastá-lo a uma convivência mais estreita com a gente refinada do lugar. A tentativa é inútil, porque desde logo Miramar desenvolve um espírito rebelde às convenções sociais impregnadas na cultura da burguesia.

 

O casal logo retorna à São Paulo, no entanto, estão bastante apreensivos com o desenrolar da Guerra na Europa.  Primo Pantico é convocado para utar na guerra. Miramar então passa a fazer uma viagem pelo seu passado, tendo mais contato com suas raízes familiares, conhecendo as terras onde seu pai tinha sido criado.  Miramar conhece a atriz Mademoiselle Rolah, de quem se tronará amante. Também é nesse momento em que ele se torna produtor de cinema, influenciado por Mademoisele. Toma ainda contato com José Chelinini, um amigo antigo.

 

O relacionamento de Miramar e Célia não vai bem. Ele suspeita do envolvimento da esposa com seu amigo Pepe, enquanto ela reforça suas desconfianças a respeito da relação do marido com Rolah. Eles então se divorciam. Os negócios também não vão bem e ele vai à falência. Ele ainda é abandonado pela amante, e vai trabalhar em um jornal. Passa por muitas dificuldades financeiras. Sua filha Célia morre e a menor, Celiazinha se reaproxima do pai.