Resumo do Livro: O Cão dos Baskerville

Arthur Conan Doyle

O livro “O cão dos Baskerville”, é um dos grandes romances policiais em que Arthur Conan Doyle brinda o leitor com as aventuras de Sir Sherlock Holmes e seu fiel amigo Dr. Watson. A história narra a trajetória da família Baskerville que é assombrada há centenas de anos pela lenda de um monstro, que segundo alguns, poderia ser um cão gigantesco. A primeira vítima do monstro foi Sir Hugo Baskerville, fundador dos Baskervilles. Sir Hugo Baskerville era um homem terrível, que ao se apaixonar por uma linda moça, decidiu raptá-la e torná-la sua prisioneira. Acontece que a jovem consegue fugir, e enfurecido, Sir Hugo tenta recuperá-la em vão. É então que, uma fera abominável acaba matando Sir Hugo. Diz-se que a terrível fera vivia no pântano dos Baskerville.

 

E não foi apenas Hugo a vítima da terrível fera. Sir Charles Baskerville, um dos herdeiros de Sir Hugo, uma noite, ao sair para caminhar teria sido também atacado pela fera. No susto, Sir Charles acabou tendo um ataque do coração fulminante.

 

Dr.Mortimer, médico e amigo da família decide então procurar o famoso detetive Sherlock Holmes para lhe contar sobre a lenda e, possivelmente, alertar o herdeiro que em breve tomaria posse da mansão, que segundo todos, era mal assombrada. Não crendo na lenda, mas não fazendo descaso, Holmes acaba decidindo investigar melhor a história e, assim, talvez evitar mais uma morte.

 

Holmes e Watson decidem ir para a mansão dos Baskerville para investigar e proteger Sir Henry. Já na chegada à mansão Baskerville, Holmes e Watson começam a investigar sobre a lenda e sobre a morte de Sir Charles, perguntando para os moradores vizinhos sobre o caso e com isso conheceram Sir Stapleton, um estranho naturalista e sua irmã a Sra. Stapleton, que tenta avisar Sir Henry do perigo que ele corre ficando na mansão e que ele deveria voltar para Londres.

 

Depois de vários acontecimentos, Holmes então cria uma grande armadilha para conseguir pegar o verdadeiro culpado pelas mortes e prender o assassino. Ele ainda tenta, sem sucesso, matar o Sir. Henry. Logo, eles descobrem que o verdadeiro culpado pelos crimes é Sir. Stapleton, que sendo um parente bastardo de Sir Hugo, queria tomar era posse da Mansão e de toda a fortuna.

 

É também nesse momento da narrativa que eles desvendam o grande mistério da “Fera do Pântano”. Era um cão grande e violento que fora deixado sem comer por longos dias.