Resumo do Livro: O Homem Que Calculava

Capa do Livro O Homem Que Calculava

“O homem que calculava”, é um dos 117 livros publicados pelo autor Júlio César de Melo e Souza, que desenvolveu intensa atividade literária ao mesmo tempo em que trabalha dando aulas. Júlio César de Melo é considerado um dos grandes especialistas em etnomatemática, ciência que estuda a forma como a matemática é usada por diferentes culturas e etnias. O livro “O Homem que Calculava “ é escrito sob o pseudônimo de Malba Tahan, e é classificada como uma obra pioneira no ensino da matemática. Trata-se, portanto, de um clássico da literatura infanto-juvenil e que hoje já está em sua 75ª. edição. O livro, bem como autor, foram largamente premiados pela Academia Brasileira de Letras.

 

O livro conta a história de Beremiz, jovem árabe que descobre uma enorme habilidade matemática ao cuidar de ovelhas, ele começa então a calcular folhas de árvores. Ao encontrar o bagdali, que era natural de  Bagdá,  Hank Tade-Maiá, eles iniciam uma viagem até a cidade do rapaz. Ao longo da jornada, Beremiz vai conhecendo pessoas e lugares e solucionado diversas situações por meio de suas habilidades matemáticas: a partilha de 35 camelos por 3 herdeiros, a divisão de 21 vasos com conteúdos diferentes por 3 sócios, dentre outras questões. E vai ganhando notoriedade com isso.

 

Beremiz vai encontrando diversas pessoas simples em sua longa jornada. Elas passam a se encantar com as habilidades do rapaz, que resolve as contas do dia a dia de maneira prática e muito efetiva. Ele também imprimi toda a sua inteligência ao mostrar que a matemática pode ser mais útil do que as pessoas pensam.

 

Quando chega a Bagdá, Beremiz acaba conquistando o carinho e afeto do  Califa e também se torna professor de matemática da jovem Telassim, cujo rosto ele não pode ver, por conta das tradições de sua cultura. Mesmo assim, os dois se apaixonam.

 

Beremiz é então desafiado por sete sábios e Beremiz, aproveita a ocasião diz ao califa que deseja casar-se com Telassim. Para isso, é submetido a um último desafio: decifrar a cor dos olhos de um grupo de escravas, apenas ouvindo as suas declarações, que poderiam ser verdadeiras ou não. Trabalhando com o raciocínio lógico, Beremiz, consegue vencer o desafio proposto e se casa com a sua amada Telassim.

 

Por conta do casamento, ele acaba se convertendo à religião da esposa, mas exige ser  batizado por um bispo que conhecesse a teoria de Euclides. Beremiz e Telassim vão morar em Constantinopla e á terão três filhos.