Resumo do Livro: O Mundo de Sofia

Capa do Livro O Mundo de Sofia

“O mundo de Sofia”, é um romance do escritor norueguês Jostein Gaarder. Publicado em 1991, já foi traduzido para mais de 50 línguas, tendo chegado ao Brasil, em 1995.O livro já está em sua 70ª. impressão e já vendeu mais de 3 milhões de cópias. Um feito para a literatura mundial.

 

O romance tem como base os princípios da filosofia, e brinca com a ideia de estar ensinando filosofia ao leitor, enquanto ele desvenda os mistérios que circundam a narrativa, que é contada em dois planos. A recepção do romance é tão grande que assim como tantos outros chegou a ser adaptado para o cinema, no entanto, a versão cinematográfica não teve a repercussão esperada.

 

O primeiro plano da narrativa nos narra a vida de Sofia Amundsen, uma jovem de 14 anos que está prestes a fazer 15. Ela vive na Noruega com sua mãe e seu gato, um peixe-dourado e sua tartaruga. O pai é um capitão de um petroleiro, mas que não aparece durante toda a narrativa, apenas é citado.

 

Sofia começa a receber mensagens anônimas, ao mesmo tempo em que situações muito estranhas também passam a acontecer com ela. Nas mensagens perguntas como “Quem é você?” , “De onde vem o mundo?” Ela recebe também um cartão postal endereçado à “Hilde Møller Knag a/c Sofia Amundsen”. A partir de então, ela passa a receber gradativamente um curso de filosofia por correspondência.

 

Sofia se torna então aluna de Alberto Knox, um homem de 50 anos que se torna seu professor de filosofia. Alberto, o professor de Sofia, ensina a ela sobre a história da filosofia. Ele revisa de uma forma que fosse de fácil compreensão o que é de mais importante desde os pré- socráticos até Jean Paul Sartre. Curiosamente, algumas passagens de livro, quando o tema é filosofia francesa, Sofia estuda em um café, ao gosto parisiense. Sofia esforça-se para aprender filosofia, e resolver todas as propostas por ele feitas.

 

O enredo vai se desenrolando ao bom gosto dos adolescentes – afora às aulas de filosofia, Sofia tem uma vida aparentemente normal.

 

No entanto, Alberto continua interferindo na vida de Sofia, que descobre que alguns acontecimentos são cientificamente impossíveis de serem explicados, como por exemplo, o fato de se olhar no espelho e piscar com os dois olhos, mas não se ver.

 

Ao final do livro vem a grande revelação: de que tanto Sofia e Alberto não existem de verdade. Ambos são personagens criados pelo pai de Hilde, que escreveu a história como presente de aniversário.