Resumo do Livro: O Primo Basílio

Capa do Livro O Primo Basílio

O Primo Basílio”, é uma importante obra de Eça de Queirós, um dos autores mais celebrados da literatura portuguesa. Inicialmente publicada em 1878, a obra era a primeira de três que seriam publicadas posteriormente em um projeto bastante ousado de Queirós – uma análise da sociedade portuguesa para determinar quais eram os vícios e os males que prejudicavam profundamente o desenvolvimento de Portugal.  Para Eça, a sociedade tinha três males: a igreja, a educação romântica dada às mulheres, e a elite burguesa.

 

Narrado em 3ª. pessoa, narrador – onisciente, Eça traça uma panorama da sociedade de sua época, a partir da composição de tipos sociais. Jorge e Luísa formam um jovem casal pertencente à burguesia de Lisboa.

 

Jorge parte para uma viagem de trabalho. Durante sua ausência, Luísa recebe a visita de um antigo namorado de juventude, seu primo Basílio, residente em Paris. Admirado com a beleza da moça, Basílio envolve Luísa em um jogo de sedução, que faz com que ela se imagine vivendo uma das aventuras amorosas de suas leituras românticas. Eles se tornam amantes, passando a trocar bilhetes e cartas de amor.

 

Luísa encontra estímulo na amiga Leopoldina, mulher casada, colecionadora de casos extraconjugais. A governanta Juliana, sempre às voltas observando a patroa, com planos de enriquecimento rápido.

 

O casal de amantes passa a se encontrar em um quarto alugado nos subúrbios de Lisboa. O local decrépito é apelidado ironicamente de Paraíso. Os dois vivem  tórridas cenas de amor. Luísa percebe o desinteresse de Basílio por ela.

 

Juliana rouba algumas cartas trocadas entre os amantes e inicia uma chantagem a Luísa. Luisa conta um plano de fuga para Basílio, no entanto este se recusa e retorna a Paris.

Jorge retorna da viagem e Luísa continua a sofrer com as chantagens de Juliana, que exige uma grande quantia em dinheiro para devolver-lhe as cartas. Luísa se vê obrigada a conceder à empregada uma série de privilégios e chega até mesmo a substituí-la em alguns serviços domésticos, sempre às escondidas do marido.

 

Jorge resolve demitir Juliana, que exige o dinheiro da chantagem e Luísa apela então para Sebastião. Ele escuta toda a história do adultério e fica horrorizado, mas ajuda à amiga. Vai até a casa de Jorge em um momento em que Juliana está só e, com ameaças de prisão, obtém as cartas. Vendo escapar-lhe o sonho de enriquecimento, Juliana tem uma síncope e morre. Sebastião entrega as cartas a Luísa.

 

Luísa adoece. Jorge apanha, em meio à correspondência, uma carta de Basílio. Jorge abre a carta. Nela, Basílio relembra os bons momentos passados no Paraíso. Quando a esposa melhora, Jorge mostra a carta de Basílio. Luísa sofre um choque e depois morre.