Resumo do Livro: O Santo e a Porca

Ariano Suassuna Autor de O Santo e a Porca

O Santo e a Porca é uma peça de Ariano Suassuna, autor importantíssimo da literatura brasileira, além de ter sido muito premiado. Pai de diversas obras teatrais, Ariano Suassuna resgata as origens e tradições herdadas dos povos portugueses e trabalha todo o regionalismo de maneira muito especial. Aborda ainda personagens bastante tipificados que, ao mesmo tempo, representam uma universalidade humana.

 

Em O Santo e a Porca, realizada pela primeira vem em 1957,  Ariano se inspira em “Aulularia”, peça teatral do autor romano Plauto. No entanto, a peça de Ariano é ambientada no Nordeste, e se distingue bem do original, escrito entre 194 e 191 a.C.

 

A história de O Santo e a Porca narra a trajetória de um velho avarento conhecido como Euricão Árabe. O protagonista é devoto de Santo Antônio e guarda as economias de toda a vida numa porca de madeira. Ao receber uma carta de Eudoro dizendo que este iria privá-lo de seu mais precioso tesouro, Euricão fica apreensivo achando que Eudoro irá pedir o dinheiro da porca. Caroba, a empregada da casa, entende a situação: o tesouro à que ele se refere é Margarida, filha de Euricão. O fazendeiro deseja casar-se com ela.

 

Margarida namorava Dodó, filho de Eudoro, às escondidas. É então que Caroba se aproveita para arranjar algum dinheiro e casar com Pinhão, seu noivo. Primeiro ela inventa que Eudoro irá pedir a mão de Benona em casamento, depois se aproveita do medo de Euricão de perder seu dinheiro e combina com ele uma comissão para ajudá-lo a tirar 20 contos de Eudoro.

 

Caroba se disfarça para receber Eudoro como se fosse Margarida. Depois se disfarça de Benona, faz com que Eudoro se apaixone novamente pela antiga noiva e o tranca no quarto com ela.

 

Eurico resolve enterrar a porca no cemitério, no entanto, quando levanta de madrugada para pegá-la não a encontra, Pinhão já havia levado a porca para o quarto de Caroba. Ao passar pelo quarto de Margarida, vê a filha saindo de lá com Dodó. Dodó tenta se explicar achando que Euricão está bravo por estarem juntos no quarto, ele começa a desconfiar de que o moço roubou sua porca e começam a brigar.

 

Todos saem dos quartos quando ouvem a discussão. Pinhão então exige dinheiro para revelar onde está a porca. Quando este recupera a sua porca, percebe que o dinheiro não vale mais nada. Euricão termina sozinho e sem dinheiro.