Resumo do Livro: Vidas Secas

Capa do Livro Vidas Secas

“Vidas Secas”, publicado em 1938, é uma das grandes obras do grande autor brasileiro Graciliano Ramos, que já foi traduzido para mais de 50 países, além de ter ganhado diversos prêmios importantes e de reconhecimento no cenário mundial das artes literárias. É ainda por “Vidas Secas” que Graciliano ficou mais conhecido. A obra não apresenta uma estrutura linear e, originalmente teria sido escrita em forma de contos para serem publicados em um jornal argentino. Na época, precisando de dinheiro para sustentar a família, Graciliano engajou-se na escritura de diversos textos que abordassem um outro aspecto da  cultura brasileira – a regionalista.

 

O livro ainda aborda temas como zoomorfização do homem e humanização do animal, a partir das características que são incorporadas aos personagens emblemáticos. Os capítulos ainda são independentes entre si; ainda assim, quando do término da leitura é possível perceber que ele também apresenta estrutura circular, os personagens voltam ao ponto inicial de suas trajetórias.

Publicidade:

 

A narrativa começa retratando a seca que chegara ao sertão de forma impiedosa e cruel, esta  obriga a família de Fabiano,  Sinhá Vitória, o menino pequeno, o menino grande, o papagaio e a cachorra Baleia a se mudarem em busca de um outro local para viverem. Durante a viagem em busca de um local para se abrigarem, antes que morram de sede e de fome, acabam comendo o papagaio. Os personagens quase não falam, apenas emitem sons guturais. Quem parece entender melhor a situação, além de refletir sobre ela, é a cachorra Baleia.

 

Depois de caminharem por léguas, encontram um local para passarem a noite. A seca acaba e Fabiano acerta com o dono da fazenda para que trabalhe lá. Há uma nova perspectiva de vida. As crianças ganham peso, bem como Fabiano e Sinhá Vitória. Até a cachorra Baleira está revigorada. Entretanto, um dia quando vai às compras, Fabiano decide parar em um bar para beber cachaça. Sentindo-se enganado pelo patrão, resolve jogar com o Soldado Amarelo. Fabiano perde, não consegue sair da encrenca e acaba preso.

 

Fabiano deixa a cadeia, e a vida ainda assim, continua a melhorar.

Começa o inverno, e a família se reúne em torno da fogueira para se aquecer. O natal também se aproxima. Roupas novas são compradas para todos. Eles vão à festa na cidade. Fabiano, sentindo-se muito desconfortável em suas roupas novas, acaba bebendo, desafiando os homens para brigar. Dorme caído na calçada. Sinhá Vitória fuma e as crianças brigam por conta do sumiço de Baleia.

 

Baleia adoece e Fabiano decide matar a cachorra para que ela não sofra. Ele encontra com o soldado amarelo e tira o chapéu para cumprimentá-lo. As trapaças do patrão o incomodam. Acaba sendo despedido. A seca recomeça e Fabiano acaba despedido. Mata o único bezerro que eles possuem. Saem novamente sem destino em busca de melhores condições de vida.

Related posts: